data ESMO 2018

Apoio

segunda, 15 outubro 2018 15:51
Atualidade

Terapêuticas-alvo para o cancro avançado transitam de unidades especializadas para o contexto comunitário

Quase um em cada quatro doentes com cancro avançado tratados em centros da Comprehensive Cancer Care Network (NCCN), nos EUA, estão a receber terapêuticas inovadoras dirigidas às mutações genéticas dos seus tumores. Este marco, prestes a ser apresentado no Congresso da ESMO 2018, mostra que a Medicina de precisão de ponta se está a difundir das unidades de cancro altamente especializadas para outras instituições de saúde, permitindo que um maior número de doentes dela possa beneficiar, independentemente de onde sejam tratados.

Segundo o Dr. Ricardo H. Alvarez, oncologista médico nos Cancer Treatment Centers of America (CTCA), em Atlanta, nos EUA, “o estudo agora apresentado demonstra que é possível efetuar a caracterização molecular de tumores em larga escala e utilizar os resultados para identificar tratamentos dirigidos para os doentes seguidos em contexto comunitário, a realidade da maior parte dos doentes americanos”.

“Nos nossos hospitais, é possível identificar os doentes com cancro avançado, refratário a tratamentos prévios, colher uma amostra de tecido ou biópsia líquida, enviá-la para um laboratório central para análise e obter os resultados em três semanas. Se estes revelarem alterações no ADN tumoral que possam ser feitas corresponder a uma terapêutica-alvo, é iniciado tratamento, habitualmente com um fármaco aprovado noutra indicação ou incluindo o doente em ensaios clínicos com terapêuticas-alvo”, explica o Dr. Alvarez.

No novo estudo, foram analisados dados de ADN tumoral de 6,177 doentes com cancro avançado tratados por mais de 50 oncologistas em cinco hospitais do CTCA, entre 2013−2017. Foram identificadas alterações genéticas em 94% das amostras tumorais, das quais 47% foram consideradas clinicamente relevantes. A análise de um vasto subgrupo de doentes demonstrou que 23% recebeu tratamento dirigido a alterações genéticas do seu tumor. “Isto compara-se aos 11% de doentes que são incluídos em ensaios clínicos de terapêuticas-alvo com base em alterações genéticas tumorais reportados em estudos académicos prévios”, refere.

O oncologista espera que, nos próximos anos, até 50% dos seus doentes venha a receber tratamentos dirigidos, seja através de ensaios clínicos ou de tratamentos com medicamentos aprovados noutras indicações (off-label). “O próximo passo é analisar os efeitos destas terapêuticas-alvo na sobrevivência e qualidade de vida dos doentes”, acrescenta.

No estudo, os tumores mais frequentemente tratados pelos oncologistas comunitários foram os da mama (18%), cólon e reto (15%), pulmão (14%) e ginecológicos (11%). As mutações tumorais clinicamente relevantes mais frequentemente identificadas foram nos genes KRAS (23%) e PIK3CA (15%), e a alteração genética mais comum foi a amplificação génica (32%). Dos doentes cujas alterações genómicas foram utilizadas para identificar terapêuticas-alvo, 57% recebeu terapêuticas já aprovadas pela FDA para outros tumores e 15% recebeu terapêuticas em estudo em ensaios clínicos.

“Estudos como este são importantes, pois evidenciam a necessidade de implementar a Medicina de precisão no contexto oncológico comunitário e oferecê-la de uma forma mais alargada aos nossos doentes”, afirma o Dr. Joaquin Mateo, investigador principal do Prostate Cancer Translational Research Group do Instituto de Oncologia Vall d’Hebrón, em Barcelona, Espanha, e autor principal do estudo recentemente publicado sobre a escala ESCAT (Escala ESMO para a Acionabilidade Clínica de Alvos Moleculares), cujo objetivo é simplificar e padronizar a escolha de terapêuticas-alvo.

O Dr. Joaquin Mateo espera que a implementação total da ESCAT na prática clínica venha a ser uma realidade. “A ESCAT classifica alterações no ADN tumoral de acordo com a sua relevância como marcadores para selecionar doentes para determinadas terapêuticas-alvo, com base na força das evidências clínicas que o sustentam. Esperamos que a escala forneça uma linguagem comum para a determinação de mutações relevantes e para a identificação dos doentes com maior probabilidade de beneficiar de tratamentos dirigidos”, conclui.

Subscrever Newsletter do Congresso

Agenda

out19
09h15 – 10h44
Hall B3 - Room 23
out19
out19
11h50 – 13h30
Hall A2 - Room 18
out19
14h00 – 15h30
Hall A2 - Room 18

Área Reservada

Portugueses no ESMO'18

Dr. Paulo Cortes

Dr. Paulo Cortes

Prof. Doutor Luís Costa

Prof. Doutor Luís Costa

Prof. Doutor Sobrinho Simoes

Prof. Doutor Manuel Sobrinho Simões

Dr.ª Fátima Cardoso

Dr.ª Fátima Cardoso

Prof. Doutor Carlos Caldas

Prof. Doutor Carlos Caldas

Dr. André Mansinho

Dr. André Mansinho

Dr. Juan Carlos Barroso

Dr. Juan Carlos Barroso

Dr.ª Ana Barroso

Dr.ª Ana Barroso

Dr.ª Ana Castro

Dr.ª Ana Castro

Dr.ª Barbára Parente

Dr.ª Barbára Parente

Dr.ª Encarnação Teixeira

Dr.ª Encarnação Teixeira

Dr.ª Gabriela Fernandes

Dr.ª Gabriela Fernandes

Dr.ª Isabel Augusto

Dr.ª Isabel Augusto

Dr.ª Lurdes Barradas

Dr.ª Lurdes Barradas

Dr.ª Margarida Felizardo

Dr.ª Margarida Felizardo

Dr.ª Maria La Salete Valente

Dr.ª Maria La Salete Valente

Dr.ª Noémia Afonso

Dr.ª Noémia Afonso

Dr.ª Paula Fidalgo

Dr.ª Paula Fidalgo

Dr.ª Teresa Almodôvar

Dr.ª Teresa Almodôvar

Dr.ª Teresa Amaral

Dr.ª Teresa Amaral

Prof. Doutor Henrique Queiroga

Prof. Doutor Henrique Queiroga

Prof. Doutor José Dinis

Prof. Doutor José Dinis

Prof.ª Doutora Leonor David

Prof.ª Doutora Leonor David

Prof.ª Doutora Luzia Travado

Prof.ª Doutora Luzia Travado

Prof.ª Doutora Mafalda Oliveira

Prof.ª Doutora Mafalda Oliveira

Prof.ª Doutora Sofia Braga

Prof.ª Doutora Sofia Braga

Dr.ª Rita Carvalho

Dr.ª Rita Carvalho

Enf.ª Cristina Lacerda

Enf.ª Cristina Lacerda

Enf Sara Torcato Parreira

Enf.ª Sara Torcato Parreira

Dr. António Quintela

Dr. António Quintela

Dr Pedro Chorão

Dr. Pedro Chorão

Dr. João Rato

Dr. João Rato

Dr. Ricardo Fernandes

Dr. Ricardo Fernandes

Dr.ª Kátia Magalhaes

Dr.ª Kátia Magalhaes

Dr.ª Mariana Malheiro

Dr.ª Mariana Malheiro

Dr.ª Priscila Nejo

Dr.ª Priscila Nejo

Dr.ª Sara Alves

Dr.ª Sara Alves

Dr.ª Soraia Lobo Martins

Dr.ª Soraia Lobo Martins

Dr.ª Ana Leonor Matos

Dr.ª Ana Leonor Matos

Dr.ª Cláudia Vieira

Dr.ª Cláudia Vieira

Dr.ª Ana Raimundo

Dr.ª Ana Raimundo

Dr. Duarte Machado

Dr. Duarte Machado

Dr. João Pedro Pinto

Dr. João Pedro Pinto

Dr. Manuel Machado

Dr. Manuel Machado

Dr.ª Ana João Pissarra

Dr.ª Ana João Pissarra

Dr.ª Filipa Macedo

Dr.ª Filipa Macedo

Dr.ª Inês Guerreiro

Dr.ª Inês Guerreiro

Dr.ª Inês Vendrell

Dr.ª Inês Vendrell

Dr.ª Joana Camões

Dr.ª Joana Simões

Dr.ª Leonor Pinto

Dr.ª Leonor Pinto

Dr.ª Rita Félix Soares

Dr.ª Rita Félix Soares

Dr.ª Ana Joaquim

Dr.ª Ana Joaquim

A MSD NÃO TEM QUALQUER RESPONSABILIDADE SOBRE OS CONTEÚDOS DESTE SITE.